Estudos na Europa

miniatura TU Wien, Freihaus
miniatura Faculté de droit, centre-ville de Limoges (Haute-Vienne, France, Limoges)
miniatura Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne - Institut d'art et d'archéologie
6. Atire-se de cabeça
As pessoas que ainda não se fizeram à estrada da aprendizagem de uma língua estrangeira podem sentir-se ansiosas ou receosas, como quando olham para o mar e não sabem nadar. Mas estudar uma língua é um pouco como aprender a nadar: depois do primeiro mergulho, é surpreendentemente sempre a direito.
5. Mobilidade de colaboradores e profissionais que trabalhem na área da juventude
Se for um professor ou se trabalhar numa empresa, pode ensinar numa instituição do estrangeiro e obter novas perspetivas profissionais, aumentando as suas redes de colaboração e contribuindo para a modernização e internacionalização dos sistemas europeus de educação e formação.
Prepare-se para viver no estrangeiro
A adaptação ao trabalho num ambiente diferente do existente no país de origem é uma competência em si mesma. Alguém que trabalhe por uns tempos em Espanha, na Roménia e na Suécia, por exemplo, aprende a adaptar-se a padrões culturais diferentes e conhece a melhor maneira de trabalhar e cooperar com as pessoas desses países. Estas são competências muito valiosas. Uma pessoa que trabalhe num país latino como a Itália, por exemplo, habituar-se-á a ser flexível e, por isso, quando alguém diz «5 minutos», sabe que esse tempo pode não equivaler exatamente aos 5 minutos de um alemão.

Study in Poland
Privacy Policy